Ver todos os posts

Diversidade e inclusão na prática: como promover diversidade e alavancar os resultados da empresa?

Publicado em
23/9/2022
Equipe FRST

É impossível desassociar o papel da diversidade do futuro das organizações. Sem dúvidas, esse conceito é hoje um dos principais motivos pelo qual empresas estão conseguindo inovar em suas soluções, melhorar o clima organizacional e gerar valor enquanto marcas.

Promover diversidade é dar oportunidade de transformação para inúmeras pessoas e luz a talentos escondidos. Por conta de preconceitos e vieses inconscientes, muitas vezes, elas eram e - ainda são, excluídas estruturalmente de processos.

O foco do RH e das empresas está caminhando para resolver esse problema. Além de pensar em melhorar as experiências dos colaboradores e elaborar processos baseados em dados e tecnologia, por exemplo, existe uma preocupação inerente em capturar esses talentos e desenvolvê-los. Esse movimento traz novas perspectivas e vivências que:

  • Facilitam insights criativos;
  • Aumentam a produtividade
  • Fortalecem a inteligência coletiva.


Apesar de não parecer uma tarefa fácil, pensar em estratégias para aumentar a diversidade na sua empresa é totalmente possível. Neste artigo, vamos falar da importância, trazer números reais e mostrar como promover uma cultura de inclusão, na prática. Vamos transformar o jogo?

Diversidade ou Inclusão?

Segundo estudo publicado pela Forbes sobre as tendências do RH para 2022, a contratação de pessoas diversas está dentre as principais tendências do ano. Esse dado apenas reforça a necessidade de olhar para essa dor e começar a estruturar processos de inclusão na sua empresa. 

Porém, primeiro, é importante se perguntar: “qual a diferença entre diversidade e inclusão? O que é diversidade e o que é inclusão? Como elas funcionam?” Apesar de estarem quase sempre juntas, elas representam ideias um pouco diferentes.

Diversidade é ter pessoas de vivências diferentes, sejam elas da comunidade LGBTQIAP+, de grupos étnicos, mulheres e pessoas idosas, por exemplo, dentro da sua empresa, participando ativamente dos processos.

Já uma cultura de inclusão é composta por medidas de ações reais, por parte da empresa, que ajudam a promover essas ideias para as pessoas colaboradoras, como a criação de comitês, estratégia de benefícios ou o desenvolvimento de grupos de conversa sobre pautas identitárias. Mais adiante falaremos melhor como fazer isso em mais detalhes!

De forma geral, você pode ter diversidade, mas pode não ter uma cultura de inclusão. Da mesma forma em que você pode ter um clima organizacional inclusivo, sem ter uma equipe diversa.É fundamental, porém, que esses dois conceitos andem juntos. Por isso que, geralmente, diversidade e inclusão se complementam: enquanto é necessário pensar em formas de trazer novas pessoas e visões diferentes para a empresa, é fundamental pensar em maneiras e ações de educar e promover um clima inclusivo.

Quando isso não acontece, é possível observar incoerências. Um exemplo prático dessa disparidade são casos de organizações que vendem um posicionamento de apoio à comunidade LGBTQIAP+ nas redes sociais, mas que, na empresa, existem denúncias de homofobia por parte das pessoas colaboradoras. Mais do que falar, empresas precisam fazer. Conhece algum caso assim?

Como a diversidade e inclusão alavancam resultados?

Ao contrário do que muitos ainda insistem em acreditar, pensar em promover diversidade é “mimimi” ou energia gasta sem razão. Além de ferramenta de transformação social, ela também gera resultados para as empresas e potencializa o crescimento delas para o futuro.

Inovação

O primeiro e principal benefício gerado é a inovação. Nesse caso, não existe muito segredo. Empresas com equipes diversas estão mais propensas a terem variadas visões, vivências e mentes pensando para um mesmo problema. O que é melhor que pessoas diferentes em um ‘brainstorming’?

Esse contexto, a curto e médio prazo, termina por trazer perspectivas diferentes e gerar novas conclusões, desenvolvendo assim, inovação em produtos, serviços ou processos. Essa inovação garante a expansão dos negócios e a força da empresa frente aos concorrentes no passar do tempo.

De acordo com estudo da Harvard Business Review, 45% dos colaboradores que possuem diversidade na liderança das empresas relatam que a participação de mercado da empresa cresceu em relação ao ano anterior. Já 70% deles dizem que a empresa conquistou um novo mercado.Indo em contraponto ao que foi apresentado acima, a parte dos funcionários que não trabalhavam em empresas inclusivas na liderança relatam que mulheres (20%), pessoas negras (24%) e LGBT´s (21%), possuem menor probabilidade de serem apoiados em suas ideias.

Essa pesquisa deixa claro que a inovação tende a acontecer em ambientes que as pessoas se sentem contempladas, respeitadas e ouvidas. Além disso, reforça a importância de olhar para a diversidade não só para novos talentos ao nível júnior, pleno e sênior, como também colocar essas pessoas diversas em cargos de liderança formal nas empresas, planejando estratégias, tendo poder de decisão e voz para mudanças.

Resultados financeiros

Como consequência da inovação, as novas soluções trazidas a partir de olhares diferentes garantem retorno, acima de tudo, financeiro. Um exemplo disso está no fato de que empresas que possuem uma diversidade maior de gênero têm 21% mais chances de possuírem um desempenho financeiro maior do que as que não investem ou pensam nisso.

O estudo feito pela Mckinsey & Company também relatou que negócios que promovem a diversidade étnica possuem 35% mais chances de terem uma performance superior.

Outro levantamento que reforça essa ideia é o estudo do Korry Ferry “DE&I pós-2020”, onde chega a conclusão de que:

  • 87% das organizações que possuem equipes diversas tomam melhores decisões
  • 75% alcançam mais velocidade para inserir novos produtos no mercado
  • 33% relatam maior rentabilidade


Se bateu a curiosidade para saber mais sobre esses dados, dê uma olhada no nosso instagram!

Como aplicar a diversidade na prática?

Após entender um pouco mais sobre a importância de se olhar para a diversidade como uma ferramenta estratégica para alavancar resultados e mais sobre as diferenças entre diversidade e inclusão, é hora de colocar a mão na massa.

A cada dia mais, essa discussão precisa sair do campo da fala e começar a ir para a prática. Afinal, é através de ações práticas que entram talentos diversificados para sua empresa e uma cultura mais inclusiva começa a ser criada. Se liga nas dicas: 

1. Comece um diagnóstico

Você sabe quantas pessoas pretas têm na sua empresa? Quantas mulheres? Quantas pessoas se reconhecem enquanto parte da comunidade LGBTQIAP+? Como elas se identificam? Sem realizar um levantamento e entender mais a fundo a real situação de onde sua empresa se encontra, não é possível dar passos maiores e mais profundos.

Além disso, é importante entender o que, historicamente ou atualmente, a empresa realizou ou ainda realiza de atividades voltadas para promover a inclusão. Existem palestras? Existe algo referente a isso nos manuais de cultura? Onde está a diversidade na empresa, de forma geral?

Uma forma interessante de realizar esse diagnóstico pode ser realizando conversas individuais com as pessoas, seja funcionário ou diretor, pegando percepções e tomando nota, bem como ler os documentos da empresa, que pode ajudar a justificar ações no futuro.

Registrar e documentar esses dados e percepções é essencial. A partir deste ponto, algumas outras perguntas já podem ser feitas, como: “Como as pessoas se sentem” e “O que posso fazer para mudar essa situação?”, e assim avançar para ações.

2. Busque diversidade no processo de recrutamento e seleção

Uma das primeiras atividades que você deve fazer é revisar o seu processo de recrutamento e seleção, ou, caso ainda não exista, começar a estruturar um. Essa etapa é importante, pois é neste momento em que as pessoas têm o primeiro contato com sua empresa.

Esse contato precisa ser cauteloso e a seleção precisa ser o mais justa possível, fazendo com que as pessoas tenham oportunidades iguais dentro das etapas e desafios, e que os vieses inconscientes dos recrutadores não influenciem no processo.

Já existem diversas técnicas que tornam processos mais inclusivos. Alguns não pedem mais inglês como obrigação, outros começaram a fazer recrutamento e seleção às cegas, sem ver fisicamente as pessoas participantes durante todo o processo seletivo, por exemplo. Porém, existem algumas ações rápidas e práticas que podem te ajudar nessa.

Na descrição das vagas, deixe claro expectativas, tarefas e benefícios. Além disso, traga uma linguagem neutra para ajudar a conversar com diversos públicos, deixando sua vaga acessível e atrativa para pessoas diversas.

Processos seletivos exclusivos para pessoas pretas, mulheres e pessoas da comunidade LGBTQIAP+ também vem sendo tendência entre as marcas e ajudando a diminuir o desfalque desses profissionais nas empresas. Como conselho geral, comece a pesquisar novas possibilidades para fugir do padrão!

3. Realize atividades educacionais com o time e lideranças

Enquanto é necessário pensar em estratégias para incluir diversidade na empresa, é preciso pensar em atividades que ajudem a construir uma cultura mais inclusiva. Por isso, aqui pode ser interessante pensar em rodas de conversa, pautas sobre temas identitários, treinamentos e mais.

O importante é fazer com que as pessoas que já estão na empresa criem uma consciência mais aberta às diversidades. Dessa forma, as pessoas conseguem se sentir bem, gerando um ambiente mais acolhedor, times mais entrosados e resultados maiores.

As lideranças também não podem ficar de fora dessas pautas. É importante que os líderes estejam prontos para gerir pessoas diversas e saber como potencializá-las para melhor.

4. Forneça benefícios

É impossível não pensar em benefícios quando falamos sobre promover diversidade nas organizações. VA, VR, VT, auxílio home-office, plano de saúde, plano dentário são alguns exemplos que as empresas podem fornecer para as pessoas.

Isso garante que elas tenham condições de trabalhar na sua empresa e, não só isso, como faz com que todas elas estejam nas mesmas condições de modo a entregar resultados compatíveis.

Por isso, se está buscando diversidade na sua empresa, comece a repensar no que você está oferecendo de valor para essas pessoas. Nessa busca, tente fugir, claro, do senso comum de: “aprendizado, equipe dinâmica e oportunidade de crescimento”. Vá além!

5. Crie comitês

Você deve ter outras tantas prioridades para fazer no seu dia, certo? Uma forma de oficializar e deixar responsáveis claros por essas atividades é criar um comitê. O comitê oficializa a política na empresa e funciona como uma prova de que existem pessoas pensando e dando prioridade a isso.

Afinal, não é porque algo não acontece que não queremos que aconteça! Portanto, pense nisso: escolha pessoas estratégias com familiaridade com assunto. Esse exercício pode ser essencial para iniciar o movimento e incentivar pessoas a se desenvolverem em outros papéis.

Esse comitê pode ser responsável por direcionar e executar parte das ações descritas acima, por exemplo.

Por fim, é essencial metrificar tudo. Dessa forma é possível entender mais a fundo o impacto das ações tomadas e ampliá-las ainda mais de modo a promover a diversidade na sua empresa e gerar uma cultura organizacional mais inclusiva.

Se quiser saber mais sobre diversidade e inclusão, a FRST tem uma série de conteúdos educativos sobre o tema no instagram e por aqui, no nosso site. Nos siga e não deixe de acompanhar!

No items found.

Seja um assinante da Solving The Problem, nossa newsletter mensal.